quinta-feira, julho 12, 2012

Once Upon a Time...


Às vezes a gente se apaixona pela pessoa errada, no lugar errado, no tempo errado e com direito a toda dor que poderíamos suportar. Quando coisas do tipo acontecem, até um simples pedido de ajuda ou um simplesmente desabafar tornam-se coisas impossíveis. Talvez isso ocorra porque mesmo com todos os conselhos vindos de várias direções insistimos no erro.
Foi assim que tudo começou, depois de encher o saco de muita gente resolvi encher meu próprio saco até que conseguisse perceber do mal que me livrei e superar tudo o que havia acontecido. Na minha cabeça só pensava que deveria escrever, não importava quantas linhas, parágrafos ou páginas portanto que aquilo que eu chamava de dor passasse. E assim descobri a minha melhor terapia.
Confesso que a princípio a ideia de criar um blog me parecia boba, mas com a encheção de saco, digo, incentivo de Renan Mendes e Carlos Fernando, junto a um mês de férias entediantes, pensei: porque não?
Tudo isso já faz um ano. Um ano repleto de amizades que se foram e outras tantas que vieram, amores que não deram certo (lê-se todos), dias intermináveis, desistências, recomeços e sorrisos semeados. E mesmo com metade da minha vida exposta os benefícios do blog sempre foram maiores do que os malefícios. Pra falar a verdade nem sei se tiveram coisas negativas, pelo menos não até agora.
Enganou-se quem pensou que a terapia era escrever sobre as magoas que me atingiram. O maior remédio é perceber por meio um simples curti ou comentários de uma, duas linhas ou um parágrafo (Raíssa, oi?) que as histórias com corações partidos e prantos infindáveis são sempre as mesmas só mudam os personagens.
Escrever para mim não é apenas colocar palavras num papel, é pôr o dedo na garganta, se preciso, para compartilhar a vida, não só a minha, mas tudo aquilo que acredito eu, poderá causar pequenas mudanças de atitude ou pensamento em trinta ou em uma pessoa que seja.
Nesse tempo percebi que até as coisas mais ruins possíveis - tipo aulas de Filosofia e Comunicação nas quais escrevi muitos textos xD - podem ser canalizadas para algo bom, afinal sem esses dramas todos não teria escrito metade dos textos que estão aqui, e principalmente porque os dias ruins servem mesmo para dar mais brilho aos sorrisos que virão. Felizes ou triste que mais dias venham!
______________________________________

Obrigada à todos que estão por aqui todos os dias ou só hoje mesmo! Sem os elogios e críticas de vocês eu já teria deixado esse projeto de lado e não teria vivido experiências incríveis e sem essa terapia teria engordado pelo menos uns 20 kg me entupindo de sorvete.

2 comentários:

  1. Oi? rsrsrs Longa vida ao teu porto mais seguro, ao lugar onde você pode escrever o que quer e como quer. Criar personagens para contar a sua história, a minha, a dele, a dela... Afinal de contas, sorrir ou chorar por amor, ainda é privilégio de todos os mortais, basta uma permissão. E já que só mudam os personagens, que sejamos os diretores de nossas tramas felizes ou tristes, mas sempre boas histórias.

    ResponderExcluir
  2. Estou aqui pela primeira vez. E amei o jeito como os sentimentos se tornam palavras nos teus textos (pelo menos nos três que eu li até agora). Não deve ser fácil conseguir isso, mas aqui parece que é. Boa sorte com os seus escritos. E não vá ficar soberba com este comentário, viu? Volto aqui neste blog outro dia. :)

    ResponderExcluir