terça-feira, janeiro 10, 2012

Com ou sem mim

  Sei que discutir de quem foi a culpa não adianta, pois nossos erros já foram cometidos e não tem mais volta. E por mais que eu tente, eu nunca consigo me expressar como quero. Mas como te disse outra vez, por mais que eu te enlouqueça ao dizer inúmeras contradições, no fundo sempre sei o que sinto. E justo por isso te digo que mesmo que precisasse viver na insegurança de te perder novamente, eu ainda assim arriscaria. Arriscaria ficar ao lado até quando desse e depois quando necessário, soltar tua mão e te dizer “seja feliz”. As coisas já não são mais as mesmas, tudo se intensificou. O nosso gostar de antes, passou a ser um “eu te amo!”. E mesmo que quase ninguém entenda esse amor vagabundo, nós sabemos que no fundo o que amamos em si não é um ao outro, e sim o que construímos juntos, a nossa amizade. Te perder novamente doeria, não nego. Mas aproveitar cada sorriso teu vai me confortando até quando o dia em que eu precisar soltar tua mão chegue. Nesse dia guardarei o que sinto por ti, ouvirei aquela canção com a qual me fizeste chorar, e terei a certeza do quanto tudo isso que vivemos foi bom. Pois independente de tudo, o que desejo mais, além de te ter ao meu lado, é a tua felicidade, mesmo que ela esteja em outras mãos.


3 comentários:

  1. "... E isso é tudo!" ~fim pra nós dois~ ;D

    ResponderExcluir
  2. Eu pensei em fazer um blog. Eu li teu texto e desisti. Eu me vejo completamente nele, as minhas palavras são essas. A veracidade desse texto é linda! Parabéns, Amanda!

    ResponderExcluir
  3. Aquele mesmo nó na garganta depois de terminar de ler um texto teu; aquele mesmo "putaquepariu" que me vem a cabeça depois de perceber que tuas palavras podem ser minhas, assim como pode ser dela, assim como pode ser de todo mundo.

    ResponderExcluir