domingo, novembro 20, 2011

No banquinho amarelo

  Alguns conversavam, outros cantavam, e uns poucos se beijavam. Tu estavas ali, no cantinho da sala, próximo à porta, apenas observando o que rolava no ambiente. E a cada vez que a porta se abria olhavas para ela com os olhos pintados de esperança, como se esperasse por alguém que te resgatasse daquele ambiente.
  E eu, no intervalo de cada música que tocava, te olhava pelo canto dos olhos querendo atravessar a sala e te puxar dali. Te levar para um outro local no qual tu pudesse te sentir mais confortável. Confesso que os olhares de desconfiança e de repreensão dos que estavam junto a nós naquele lugar, contiveram meus passos e mantive-me estática.
  Então, esperei mais uma música. E advinha qual foi? Pois é, foi a nossa música. Aquela que tocaste para mim quando ainda nem tínhamos nos dado conta de que nos pertencíamos. E num ato extremamente espontâneo nos olhamos. E por te conhecer tão bem, li em teus olhos o que desejavas naquele momento. Saíste da sala. Esperei um tempo, foram os segundos mais longos do dia. Sai logo após.
  Era uma noite em que a lua estava majestosa. Deixamos a sala e todo o conforto do ar refrigerado nela, para nos sentarmos naquele banquinho amarelo. O clima não estava nada ameno, mas ignorei o calor só para te ter ali ao meu lado, apenas jogando conversa fora. Tínhamos um pouco de medo que alguém nos visse a sós, e comentasse algo sobre o climinha de romance que cercava cada sorriso bobo que trocávamos.
  Nos abraçamos tão rápido, mas de um jeito tão intenso, e retornamos para a sala. Sentei no sofá, no polo oposto ao teu, e tu voltaste para o teu cantinho ao lado da porta. Só que agora não te espantavas a cada vez que ela se abria. Na verdade tu e eu estávamos ali apenas fisicamente, pois nossas almas permaneceram lá fora, naquele banquinho amarelo, admirando a lua.
Gente,eu sei que isso não é uma lua,mas eu gostei a imagem.Então,finjam que é uma lua ;)

4 comentários:

  1. ai, que lindo!
    até ia fazer uma brincadeira de 'tá xonadinha', mas me contive.

    te amo, besta ♥

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAAHHH, não acredito nisso *-*
    Estava pensando ontem mesmo sobre determinado banquinho amarelo. E cheguei a conclusão de que se ele tivesse ouvidos, seria muito sábio. Pois acredito que muita gente tem uma nostalgia daquele local de algum momento especial, ou com ele apenas uma relação afetiva. Já observei/vivi momentos assim como o teu nesse banquinho. Talvez não estejamos falando do mesmo local, mas enfim, qualquer semelhança não é mera coincidência...

    ResponderExcluir
  3. Ah, me esbaldei nessa cena bonita e doce, Amanda...que delícia!

    ;)

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. querida Amanda,
    como estas escrevendo bm, e essa inspiração? de onde vem? esta lindo esse post, a colocação das palavras, da imaginação q passa, gostoso de refletir.
    ta lindo....


    ps: desculpe eu vi ler seu blog atrasada, mas sempre virei ver, e comentar, divulgar...sabe como é né...


    bjão

    Suzane Santana

    ResponderExcluir